Vulgarmente  chamado de “ braço curto”, a presbiopia é o nome da perda de visão para perto depois dos 40 anos de idade. Esta perda é perene e, até pouco tempo, irreversível. Hoje existem tecnologias disponíveis para a reversão deste problema

ENTENDENDO A PRESBIOPIA

Existe dentro dos olhos um verdadeiro aparelho ótico. O fato de toda pessoa ter uma boa capacidade de ver de longe e também de perto antes do inicio da presbiopia se deve a acomodação, ou seja, movimentação ativa da lente  localizada dentro  dos olhos chamada de cristalino, Quando a pessoa quer focar algo de longe, a musculatura  (músculo ciliar) que mantém  o cristalino sob tensão, relaxa e assim o foco de visão se distancia. Quando do contrario, a musculatura tensiona esta lente e, por consequência, se aproxima o foco de visão.

Este processo dinâmico mantem a visão focada, seja em qual distância for. No entanto, e sempre tem um senão nesta história, depois dos 40 anos em média, conforme dito anteriormente, o ser humano perde esta capacidade progressivamente. Cada vez mais o musculo perde a potência de contração e a lente (cristalino) vai ficando mais rigido, o que tira aos poucos o foco da visão de perto.

Pra piorar ainda, depois que este período se instala, além da perda da capacidade acomodativa, ainda há uma necessidade de ver de perto com  mais luz. A isso se denomina perda da sensibilidade ao contraste. Em resumo, a tempestade se formou e agora você vai ter que usar óculos para tudo, o tempo todo. Convenhamos , ninguém gosta muito de usar lentes corretivas. Mas como se livrar deste problema e da desagradável sensação da incapacidade de visão de perto?

_mg_0396

CURANDO A PRESBIOPIA

Há muitos anos já havia sido disponibilizado no mercado as lentes intra-oculares  Premium. Ora, se a nossa lente natural, o cristalino, vai perdendo a potência, a logica é que a sua substituição poderia curar o problema. E curou. Sua implantação é feita por micro incisão. O olho não sofre cortes, embora seja introduzida uma espécie de sonda muito delicada para a retirada do cristalino doente. A retirada em si é bem simples, por processo de facoemulsificação, tecnicamente  assim chamado. Não leva mais que 10 a 15 minutos, é rápido, indolor e realizado com anestesia local ou tópica. Uma vez retirado o cristalino doente, faz-se a seguir a implantação de uma das lentes Premium. Simples assim.

Com a evolução da tecnologia ( e que evolução), as lentes Premium foram igualmente avançando. Hoje, os grandes trunfos desta área são as lentes trifocais e as de foco prolongado. Explico: antigamente,  há até poucos anos , as lentes geravam a visualização de halos, principalmente a noite. Pois bem, elas evoluíram muito e reduziram significativamente esta percepção. Hoje chegamos ao ponto de termos lentes que amenizam ( não anulam totalmente) o efeito dos halos, que são justamente as trifocais e de foco alongado. Ora, no caso de implantação, elas permitem um melhor foco de visão para todas as distancias e com mínimo de percepção dos halos. No começo, estes halos são uma espécie de “argolinha” ao redor dos focos de luz. Acontece que, depois de algumas semanas, variando de uma pessoa para outra, estes focos tendem a desaparecer.

ENTÃO COMPENSA FAZER ESTA CIRURGIA?

Vamos jogar bem aberto. Faça uma analise do seu dia a dia. Veja o quanto você odeia os óculos corretivos. Principalmente se o  uso deles limitam suas atividades, quer sejam profissionais, familiares ou de lazer, Também avalie sua auto-estima, como ficaria sem óculos. Se você achar que sua vida seria mais simples e satisfatória sem óculos, realmente compensa. Além do que foi dito até aqui, há a percepção das pessoas de certo “desconforto” para a visão de longe nas primeiras semanas após a cirurgia. Esse desconforto se deve a u fato que voc~e tem que lembrar para fazer uma escolha consciente: a sensibilidade ao contraste (lembra que eu falei que depois dos 40, além da presbiopia, existe mais dependência de luz?) está não se resolve. Com a cirurgia isso fica evidente, pois você chegou ao limite de correção que existe para o olho humano. Você deve lembrar que o seu oftalmologista vai implantar uma lente, mas não uma lanterna em seus olhos. A boa noticia é que á uma tendência  natural a neuroadptação. Opa, palavra nova! Isso significa que seu cérebro não consegue interpretar o novo padrão de visão em sua plenitude para os olhos recém- operados. Com o passar dos meses, esse potencial vai aos poucos aumentando  e o resultado é bem satisfatório.

_mg_0397

MEU VIZINHO OPEROU COM LASER. É A MESMA COISA?

Cuidado com a história de vizinhos, amigo do amigo, conhecidos, dentre outros, que normalmente são autoridades no assunto. Tentaram-se inúmeras vezes criar tecnologias  que possibilitasse a correão da presbiopia com laser. TODAS foram mal fadadas. O que ainda é praticado hoje, alias, de maneira indiscriminada, é a monovisão com laser. Monovisão é quando você se submete á cirurgia de excimer laser para corrigir um olho para longe e outro para perto. O grande problema é que você perde parte importante  da estereospsia, que é a capacidade de ter  noção  de distancia, volume e velocidade para ver de longe. Os perigos são óbvios, por exemplo, no transito, no caminhar e nas atividades desportivas mais dinâmicas. Salvo aqueles casos RESTRITOS os quais este procedimento ainda é muito bem indicado, na grande maioria é fria.

CONVERSE COM SEU OFTALMOLOGISTA E PERGUNTE A ELE MAIS DETALHES. TIRE SUAS DUVIDAS. BOA CIRURGIA!