O hábito de coçar os olhos é uma péssima atitude que certamente todos nós já fizemos. Esfregar os olhos acarreta uma série de consequências, algumas imediatas e outras que podem ser bem tardias.

 

O ato de levar as mãos aos olhos pode gerar contaminação, produzindo infecções das mais variadas, tais como hordéolos, conjuntivites, abscessos palpebrais, dentre outras. Além do mais, ao coçar os olhos, a camada lacrimal, tão essencial para o bom funcionamento dos olhos, é rompida.

 

Entre os efeitos não sentidos imediatamente, estão a desestabilização das fibras de colágeno da córnea, que induz a deformidades em sua estrutura e o ceratocone, doença que deforma todo o tecido corneano e que resulta em deterioração visual.

 

Há três fatores que podem causar a coceira nos olhos: ambientais, patológicos e de medicamentos. O ambiental ocorre quando o tempo está muito seco e gera poeira, ou muito úmido e gera mofo. Nos dois casos há irritabilidade nos olhos. O patológico é decorrente das rinites, bronquites e alergias. Já o fator por medicamentos é devido às  contra-indicações e reações adversas aos remédios.

 

Por mais que olhos estejam coçando e ardendo, deve-se evitar ao máximo esse hábito. Nossas mãos estão cheias bactérias que prejudicam a visão e causam alergias, infecções, conjuntivites bacterianas, entre outros problemas. Por isso, o ideal é sempre lavar bem as mãos e em seguida lavar os olhos com água potável ou soro fisiológico.

 

A alergia ocular é muito comum, mas é importante que estejamos alertas sobre as intensidades das coceiras. Quando é ocasional, se não apresenta nada fora do comum, não há riscos, mas caso seja frequente e ainda apresentar sintomas atípicos, o indicado é procurar um oftalmologista.